ad

Neste mês de agosto, percebe-se uma lembrança permanente de alguém muito importante numa família. Pois, é o período na qual se registra o dia dos pais. Em meio a sensação de gratidão surge a expectativa e a preocupação quanto ao presente a ser dado. A dúvida aparece, na maioria das vezes, mediante a seguinte pergunta: O que no momento tenho condições de oferecer e agradaria meu pai? As opções são as mais diversas, talvez algo comum, ou a mera e fundamental lembrança, seguida da atitude de um cumprimento afetivo já bastassem para registrar a data de forma agradável. No entanto, no âmago dessa questão, se insere um contexto que não deve ser despercebido quanto ao melhor presente de pai.

Para interpretar e compreender qual seria o mimo ideal, faz-se necessário colocar-se no lugar do homenageado. Qual o mais nobre presente que recebemos de nosso genitor? Alguns dirão que é a vida e a proteção para permanecermos vivos. Sem dúvida importante. Mas, imagine a vida sem a presença da educação. Seria o caos! Talvez, até impossível de se viver ou conviver. Sem falar que contribuir para gerar uma vida e proteger uma criança de alguns perigos, exigem atitudes menos difíceis do que a heroica ação de educar um ser humano nos dias de hoje. Portanto, se recebemos educação, estamos diuturnamente podendo desfrutar do maior, melhor e muito abençoado presente de pai.

Refiro-me a educação em seu sentido amplo, ou seja, a transferência de hábitos, costumes e valores, mais propriamente aquela orientação vinda de casa desde o berço. Embora, não mais e nem menos importante do que a educação oriunda dos bancos escolares, até porque ambas complementam-se. Mas a atuação responsável de um pai conduzindo seu filho pelo caminho do bem, ensinando-lhe a agir de forma ética, e com respeito às demais pessoas, é algo louvável.

Considero que é justamente no quesito respeito que se encontra um dos “pilares” da educação. A falta da condição de respeitar é algo tão grave que pode ser considerado como um dos princípios da violência. Sim, o desrespeito com a vida e com o patrimônio pode gerar danos morais e físicos, e tal fato encontra-se vinculado a agressão, a violação da lei, a usurpação, ao incomodo, enfim, normalmente é devido à falta de respeito que surgem as ocorrências policiais. Ou seja, na maioria das vezes em que a polícia é acionada, mesmo para prestar socorro, significa que alguém desrespeitou alguma norma ou algum direito, e, torna-se fatídico a possibilidade de ter ocorrido alguma violência.

Portanto, acredito que o melhor presente de pai, é utilizar-se da capacidade e do conhecimento para oportunizar uma boa educação ao seu filho, tornando-o um ser humano respeitoso e estimado. E, o melhor presente para o pai, é sua prole saber fazer uso adequado dos ensinamentos adquiridos, sendo manifestamente um cidadão íntegro, responsável, irrepreensível na sua conduta, honesto, e incorruptível. Assim sendo, considerando que ambos, pais e filhos do mundo todo, dessa forma se presenteiem mutuamente, a humanidade poderá beneficiar-se da aproximação da paz e da ordem e consequentemente contribuir para a melhoria da qualidade de vida.

Éldison Martins do Prado
O autor é Oficial da Policia Militar; Bacharel em Segurança Pública


CLINICA SALUTAR