ad

[dropcap color=”#81d742″]A[/dropcap] cada ano, aproximadamente 9 milhões de pessoas morrem de câncer. A doença tem sido a responsável pela morte de 1 a cada 6 humanos em todo o planeta.

Hábitos saudáveis são considerados os pilares para a prevenção desta terrível doença. Entre estes hábitos está a boa alimentação. Alimentos in natura são peças-chave nesse jogo de buscar saúde e evitar os males da modernidade.

Com a publicação da Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009, todas as escolas públicas passaram a adquirir alimentos orgânicos. A lei determina que no mínimo 30% do valor repassado a estados, municípios e Distrito Federal pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) deve ser utilizado na compra de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar e do empreendedor familiar rural ou de suas organizações. Hoje, o município de Guaíra adquire frutas, verduras, legumes e alguns produtos panificados de 12 agricultores familiares.

Para ajudar os pequenos agricultores a buscar alternativas e fortalecer a classe, foi criada em Guaíra a APONG (Associação dos Produtores Orgânicos e Naturais de Guaíra). A associação, que tem sede na comunidade rural do Cruzeirinho, promove encontros regulares, palestras, cursos e discute novas possibilidades de culturas e negócios. O resultado tem sido positivo. Com apoio do município e da Itaipu, os pequenos agricultores fecharam 304.924,10 reais em contratos durante todo o ano de 2017.

A presidente da associação, a engenheira agrônoma Wuldicléia Jácomo, destaca que estes números devem ser ainda mais significativos em 2018. E aponta casos emblemáticos. Ela cita o exemplo do pequeno agricultor João Eudes, que começou um empreendimento com fruticultura e hoje produz e distribui polpas de qualidade para toda a região. Eudes é hoje um empresário de sucesso e seus notáveis números servem de inspiração para outros produtores, que encontram na diversificação o incentivo para uma boa qualidade de vida financeira.

De quebra, as crianças da nossa rede pública de ensino podem consumir produtos de qualidade, prevenir doenças e começar desde cedo a ter uma alimentação adequada.

Portal Guaíra via Assessoria


CLINICA SALUTAR