Beto Richa
ad

[dropcap color=”#1e73be”]O[/dropcap] governador Beto Richa (PSDB) afirmou ontem que anuncia na semana que vem se renuncia ou não ao cargo para disputar uma vaga no Senado nas eleições de outubro. O prazo para a desincompatibilização de que vai concorrer a outro cargo termina no próximo dia 7 de abril. Richa reafirmou não descartar permanecer no governo até o final do mandato, em dezembro, e “se aposentar” da política. Aliados do governador, porém, dão como certa sua saída para disputar a eleição. Nesse caso, assume o comando do Palácio Iguaçu a vice-governadora Cida Borghetti (PP), que concorreria à reeleição.

“Eu semana que vem anuncio a minha decisão. Estou muito tranquilo. Eu nunca fui afobado nessas questões de campanha. Até porque tenho que pensar mesmo se me desincompatibilizo do governo no momento em que estamos no auge. O melhor momento do governo é agora. Isso que me leva a pensar um pouco. E por outro lado também se eu fico posso estar encerrando a minha trajetória política não disputando a eleição”, disse o governador.

Richa afirmou que está conversando com aliados políticos e seu partido para decidir. “Eu tenho conversado com aliados, com partidos, o meu partido. Pessoas cujas opinões para mim são importantes para tomar uma decisão que, espero, seja acertada e seja o melhor para o Paraná”, explicou.

O tucano reafirmou a possibilidade de concluir o mandato até o final, e deixar a política. “Posso também (abandonar a política). É uma possibilidade. Porque não? Já fui prefeito duas vezes, duas vezes governador. Acho que cumpri com a minha missão”, disse.

Ele voltou a defender o ajuste fiscal iniciado em dezembro de 2014, logo após sua reeleição para o governo. “Está aí o Estado. Melhor situação financeira, melhor situação fiscal do Brasil. Um canteiro de obras. Isso não se vê em outras partes do Brasil. Administramos de forma responsável. Fizemos o ajuste fiscal no momento adequado, sem olhar a eleição. Politicagem. Pensando no futuro do Estado. E está aí, hoje os paranaenses colhem os frutos das decisões acertadas que adotamos nos últimos dois anos”, comentou o governador, que admitiu o desgaste por causa das medidas. “Embora algumas medidas impopulares geraram críticas, incompreensão. Mas hoje todos entendem que as ações que adotamos estão sendo bem sucedidas. Então em função disso tudo estou avaliando essa possibilidade. Não tenho grandes ambições na vida pública, não. Acho que o que podia ser feito, foi feito”, afirmou Richa, após a solenidade de inauguração da nova sede do Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.

Apesar do suspense mantido por Richa, em entrevista à rádio Banda B, o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), disse ter certeza de que o tucano será candidato ao Senado. “Tenho convicção que ele vai se desincompatibilizar e disputar uma cadeira no Senado”, garantiu Romanelli.

Portal Guaíra com informações do Bem Paraná


CLINICA SALUTAR