ad

Cinco presos feridos durante a Rebelião da Penitenciária de Cascavel (PEC) continuam internados no Hospital Universitário.

A Polícia Militar se reveza na escolta dos detentos. Por questões de segurança a assessoria do HU não confirma os nomes dos presos que ainda permanecem na casa hospitalar, mas afirma que todos estão em uma única ala, para facilitar o trabalho de escolta.

Leia também:
Cascavel – Mortos na rebelião da PEC chegam ao IML
Cascavel – Agentes são liberados e rebelião na PEC chega ao fim (imagens fortes)

Fontes ligadas a CGN revelam que um dos detentos que ainda permanece internado é Gilmar de Lima, condenado por matar a garotinha Rafaela Trates, o estado de saúde dele ainda é grave.

Gilmar teve os dois braços e as duas pernas fraturadas ao ser torturado no motim.

De acordo com a Secretaria de Justiça, 25 presos ficaram feridos durante a rebelião, nem todos precisaram ser hospitalizados. Dois deles que foram internados no Hospital Universitário de Cascavel, contaram às equipes que atuaram diretamente no socorro que, para sobreviver durante o motim, foram obrigados a comer pedaços de um corpo carbonizado.

A Polícia Civil instaurou um inquérito e investiga crimes de dano ao patrimônio, homicídio, e cárcere privado, registrado durante a rebelião.

Fonte: CGN


CLINICA SALUTAR