ad


Policiais civis do GDE (Grupo de Diligências Especiais) e fiscais da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) realizaram ontem a maior apreensão do Brasil de medicamentos terapêuticos e de emagrecimento sem qualquer regulamentação ou autorização da agência.

De acordo com o delegado-operacional da 15ª SDP (Subdivisão Policial) Edgar Santana, uma distribuidora de medicamentos funcionava atrás de uma loja, localizada na Avenida Brasil, no Bairro Coqueiral. Milhões de cápsulas foram apreendidas antes de serem revendidas para todo o Brasil. No local não havia indícios de fabricação de medicamentos.

“Esses medicamentos não necessariamente são proibidos, mas precisam de autorização da Anvisa para comercialização. Sem a autorização, não se sabe a composição desses medicamentos, se são verdadeiros ou se são só farinha. Também não será feita análise, porque só o fato de vender o produto sem a autorização já configura crime contra a saúde pública”, explica o delegado.

O crime é considerado hediondo e o preso, Gilson Todescatt, 46 anos, que não tem passagens pela polícia, pode pegar até 15 anos de prisão. A distribuidora, que trabalhava há 17 anos no ramo, chegava a movimentar R$ 200 mil por mês. “Só não sabemos ainda há quanto tempo eles trabalham sem autorização”, acrescenta o delegado.

“É importante conscientizar as pessoas para que saibam da procedência do medicamento antes de adquiri-lo, porque ela pode ser lesada e ter um prejuízo à saúde”, previne Santana.

Uma grande quantidade de medicamentos foi apreendida no local onde funcionava a distribuidora

Fonte: O Paraná
Fotos: Lorena Manarin


CLINICA SALUTAR