Suely Araújo deixou a presidência do Ibama (Pedro França/Agência Senado)
ad

[dropcap color=”#81d742″]A [/dropcap]presidente do Ibama, Suely Araújo, pediu exoneração do cargo para o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Indicada por Michel Temer (MDB), ela estava na chefia do órgão desde 2016. A saída ocorre após uma crise aberta pela publicação do ministro no Twitter, que apontou um contrato de 28,7 milhões de reais firmado pelo Ibama para aluguel de carros.

Em resposta a Salles, também na rede social, o presidente Jair Bolsonaro disse que havia um “sistema” para “violentar financeiramente” o brasileiro. Em seguida, o presidente apagou a publicação.

Suely reagiu aos comentários e defendeu que o contrato de locação tem âmbito nacional e abrange 393 caminhonetes adaptadas para fiscalização, combate a incêndios florestais, emergências ambientais e outras áreas. “A acusação sem fundamento evidencia completo desconhecimento da magnitude do Ibama e das suas funções”, disse a ex-presidente em nota oficial.

Salles voltou ao Twitter para dizer que não havia levantado suspeita sobre o contrato. “Apenas destaquei seu valor elevado, conforme meus esclarecimentos na própria postagem. O valor elevado também foi questionado pelo TCU desde abril e, portanto, não precisava ser assinado a dez dias da troca de governo.”

A exoneração foi aceita pelo ministro, que já havia indicado o procurador federal Eduardo Bim para chefiar a autarquia em sua gestão. “O fato de a Suely pedir demissão nada mais é que a consequência desta escolha. Não vejo como anormal ela ter pedido exoneração”, disse a VEJA.

Suely também citou que a indicação de seu sucessor. “Considerando que a indicação do futuro presidente do Ibama, senhor Eduardo Bim, já foi amplamente divulgada na imprensa e internamente na instituição ainda em 2018, antes mesmo do início do novo governo, pertinente o meu afastamento do cargo, permitindo assim que a nova gestão assuma a condução dos processos internos desta autarquia”, disse a ex-presidente em nota.

Portal Guaíra com informações da Veja


CLINICA SALUTAR